Fogo que não produz fumaça

Existe fogo que não produz fumaça? A resposta é sim e pode ser encontrado em sua residência, mais precisamente no fogão de sua casa. Talvez você nunca tenha reparado, mas a chama que aquece seu almoço possui coloração azul, esta cor significa combustão completa (reação total com o oxigênio). Ela é produzida pela junção do combustível -gás liquefeito de petróleo (GLP), mais conhecido como gás de botijão – com o comburente (oxigênio do ar).

Para um melhor entendimento, vamos nos atentar às definições:

- Combustível é o material oxidável (sólido, líquido ou gasoso) capaz de reagir com o comburente;

- Comburente é o material gasoso (em geral o oxigênio) que pode reagir com um combustível, produzindo assim a combustão;

Outro fator que colabora para uma chama mais limpa (azul) é a composição do combustível, como exemplo compare a chama do fogão e a produzida por uma vela. A primeira é produzida pela queima de gases (oxigênio e GLP), já a segunda envolve a parafina, que é derivada do petróleo e rica em carbonos. A chama produzida por gases é azul e não produz fumaça ao contrário da queima da parafina: chama amarela que produz fumaça.

Mais uma dúvida: Por que quando o gás está para acabar a chama adquire coloração avermelhada? O gás está em quantidades mínimas e sua mistura com o oxigênio do ar não ocorre de forma completa. A prova de combustão incompleta está na fuligem que se acumula no fundo da panela. Neste caso a reação entre o combustível GLP e o comburente oxigênio está desbalanceada.
Agora você já sabe! O fogo que não produz fumaça tem cor azul.

Carbono e jogos de montar

É correta a comparação do elemento carbono com jogos de montar? Brincando de agrupar blocos você pode perceber que os carbonos se agrupam da mesma forma, isso ocorre na formação das longas cadeias de hidrocarbonetos. Mas como o carbono constitui estes importantes compostos orgânicos? Tudo se deve à estrutura carbônica que possui a capacidade de formar cadeias moleculares variadas, estáveis e extensas.

Na verdade, todos os elementos buscam se ligar uns aos outros para atingirem o equilíbrio eletrônico, ou seja, completar a última camada (camada de valência) com oito elétrons. A classe dos metais busca este equilíbrio roubando elétrons e tornando-se eletropositivos. Os não metais fazem exatamente o contrário, se equilibram doando elétrons, já os gases nobres são naturalmente equilibrados. E o carbono? Este é o elemento capaz de formar quatro ligações, doando ou recebendo elétrons, ou seja, rege com elementos eletropositivos e eletronegativos. Por esta propriedade o carbono recebe a denominação de tetravalente.

A existência de milhões de compostos orgânicos é explicada pela tetravalência do carbono, uma vez que as longas cadeias carbônicas só existem em razão das quatro ligações disponíveis do carbono. Podemos encontrar o carbono nas mais variadas substâncias, vejamos algumas:

• O metano é um exemplo de composto orgânico simples, é composto por apenas 1 átomo de carbono e por isso é leve e compõe o gás natural;

• Os polímeros são constituídos por longas cadeias carbônicas para formar os plásticos;
• As moléculas da vida (DNA) são compostas por carbono em cadeias.

Retomando o assunto inicial, carbono e jogos de montar, observe a estrutura do octano:

H3C ─ CH2 ─ CH2 ─ CH2 ─ CH2 ─ CH2 ─ CH2 ─ CH3

Como se vê, o carbono se comporta como um bloco de montar para construir a estrutura linear do principal componente da gasolina.

Alquimia

A palavra alquimia deriva do termo árabe al-khimia, que significa química. Esta ciência primitiva nasceu na Idade Média, defendia a crença de que há quatro elementos básicos (fogo, ar, terra e água) e três essenciais (sal, enxofre e mercúrio). Os seguidores desse princípio ficaram conhecidos como alquimistas.

Uma das ideias defendidas pelos alquimistas era a de que todos os metais evoluem até se tornarem ouro. Seria possível acelerar este processo em laboratório a partir de procedimentos químicos, como o aquecimento, por exemplo, e assim converter metais comuns em preciosos. A substância mágica que transmutaria metais era chamada de “pedra filosofal”.

A evolução da ciência mostrou que os alquimistas estavam errados quanto à obtenção de ouro. Mas não podemos desprezar o trabalho desses ancestrais, pois através de experimentos descobriram diversas substâncias e ainda colaboraram com a invenção de aparelhos instrumentais de laboratório, como, por exemplo, o banho-maria, ainda usado para aquecer misturas lentamente.

Elementos químicos e astrologia

Alguns elementos químicos, antigamente, eram relacionados aos astros. Alguns ainda são muito utilizados na Astrologia.
Veja os exemplos de elementos e astros relacionados:
– Prata – Lua
– Cobre – Vênus
– Mercúrio – Mercúrio
– Ferro – Marte
– Estanho – Júpiter
– Chumbo – Saturno
– Ouro – So

Metal mais abundante da crosta terrestre

O metal ferro é o mais abundante na crosta terreste e o quarto mais abundante dos elementos. O núcleo da Terra é formado principalmente por ferro e níquel. O ferro pode ser encontrado na forma dos minerais hematita, magnetita, limonita, siderita, pirita e ilmenita.
Os maiores países produtores de ferro no mundo são China, Austrália, Brasil, Índia, Rússia, Ucrânia, Estados Unidos, África do Sul, Canadá e Suécia.

Como acontece a combustão espotânea

Os materiais armazenados em grandes quantidades podem sofrer uma combustão espontânea. Isto acontece devido ao calor interno causado por oxidação (reação onde elétrons são perdidos, principalmente quando o oxigênio se combina com algum outro elemento químico, ou quando o hidrogênio é retirado de um composto).
Essa oxidação não permite que o calor seja liberado para o ar ao redor, a temperatura do material vai aumentando até que ele atinge seu ponto de ignição e provoca chamas.
Por volta de 290a.C., um texto chinês registra esse fenômeno descrevendo a combustão espontânea de um tecido armazenado embebido em óleo.

Acidez bucal

Quem diria, até em nossa própria saliva existe a presença do potencial hidrogeniônico (pH), tudo se deve aos alimentos que ingerimos e como esses se comportam dentro de nossa boca. O pior é que este fator influi em nossa saúde bucal, o conteúdo a seguir esclarecerá a dúvida: Por que cáries aparecem em nossos dentes? A fermentação do bolo alimentar produz ácidos, por exemplo, as bactérias existentes em nossa saliva fermentam os carboidratos dos alimentos produzindo ácido lático, essa reação leva a uma diminuição do pH da boca, ele fica abaixo de 4,5 (ácido). Pode até parecer que os dentes são fortes por se tratar de uma estrutura óssea, mas a composição dos dentes envolve o mineral hidroxiapatita, inclusive é o principal constituinte, cuja fórmula é Ca5(PO4)3OH. A reação de ácidos com Hidroxiapatita dá origem a sais solúveis em água, por isso parte da Hidroxiapatita se dissolve, o que favorecerá o aparecimento de pequenas cavidades nos dentes. O problema pode ser ainda maior se o indivíduo tiver a doença bulimia (distúrbio provocado pela ingestão de alimentos seguida de vômito induzido). A doença faz com que o ácido clorídrico existente no estômago seja eliminado junto com o vômito, o que leva a uma redução ainda maior do pH presente na boca, chegando a 1,5 (muito ácido). Apresentamos aqui uma solução para combater a corrosão dentária: a aplicação periódica de flúor. Os íons fluoreto (F-) presentes no flúor transformam a Hidroxiapatita em fluorapatita (substância ideal por ser menos solúvel em ácidos). Vale lembrar que o flúor sozinho não resolve o problema, uma escovação correta e o uso diário do fio dental são fundamentais para evitar a deterioração dos dentes.

Chuvas Ácidas

Um dos problemas ambientais decorrentes da poluição atmosférica são as chuvas ácidas. Elas podem ocorrer quando aumenta a concentração de certos óxidos na atmosfera, como o dióxido de enxofre e óxidos de nitrogênio.  Esses óxidos reagem com a água e acaba produzindo ácidos, como o ácido sulfúrico e o ácido nítrico, que podem então se precipitar na superfície terrestre juntamente com a água das chuvas.

O dióxido de enxofre óxidos de nitrogênio é produzido pela combustão de materiais de origem fóssil, como o petróleo é o carvão. São lançados na atmosfera pelas usinas termelétricas, indústrias de celulose, refinarias e pelos veículos de automotores.

As conseqüências das chuvas ácidas são:

Aceleram a corrosão de parte das matérias empregados na construção de edifícios, pontes represas, redes de canalização de água, depósitos subterrâneos e cabos elétricos, além de corroer a pintura de automóveis. Na natureza causam danos as folhas de muitas espécies de plantas e tornam os solos ácidos, podendo comprometer a produtividade agrícola. Rios e lagos também podem se tornar ácidos, o que provoca a morte de seres que não toleram redução significativa do pH da água.

 

Porquê o mundo e colorido ?


A luz é produzida quando elétrons vibram, indo e voltando rapidamente entre vários níveis de energia que existem na eletrosfera de um átomo. Para cada salto, é emitido um fóton, que é uma luz monocromática, de comprimento de onda (cor) bem definido.
Deste fato resultam os espectros de emissão, formados por raias ou bandas coloridas, que servem inclusive, para identificar o átomo emissor da luz. Em temperaturas elevadas átomos com muitos elétrons emitem tantas raias que o espectro se torna contínuo e a presença simultânea de todas as cores se traduz na cor branca.
Um objeto é branco quando reflete todas as cores.
Um objeto é preto quando absorve todas as cores.
Um objeto é vermelho quando reflete a cor vermelha e absorve as demais cores.

Por que as pipocas estouram?


A “explosão” de um grão de pipoca quando aquecido é o resultado da combinação de 3 características:

1. O interior do grão (endosperma) contém, além do amido, cerca de 14% de água.
2. O endosperma é um excelente condutor de calor.
3. O exterior do grão (pericarpo) apresenta grande resistência mecânica e raramente possui falhas (rachaduras).

Quando aquecido intensamente, a água no endosperma sofre vaporização, criando uma grande pressão dentro do grão. O pericarpo atua como uma panela de pressão, evitando a saída do vapor de água até que uma certa pressão limite seja atingida. Neste ponto, ocorrem duas coisas: o grão explode, com som característico (pop!) e o amido do endosperma incha abruptamente, criando aquela textura macia.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.